segunda-feira, 18 de abril de 2011

Vocabulário Dudês

Aqui está o vasto vocabulário que Duda utiliza nos seus 1 ano e quase 3 meses.
Eu entendo tuuuuuuuuuuuuudo. Mas deixo pra vocês o significado das palavrinhas dela:

mamá, mamãe = eu, lógico, a mamãe
papa, papi, papai = o papai
Nani = a Nanny, minha maltês
Ni = o Nicholas, meu york
tata = gata Nicole, da minha mãe
tata = também é caca
nenem = neném
unhéunhéunhé = primo Lucas (associou que ele chora, então quando a gente fala em Lucas, ela vem com esse palavrê)

di = dri, minha secretária/babá nas horas de stress meu
tau = tchau
me = ela cisma que são "meus amiguinhos os Backyardigans" - ela abreviou pra me, simples assim

ete = sorvete
bipi = umbigo
bi = brinco
pé = pé ou sapato
aua = água
tete = leite ou suco (tudo que tiver na mamadeira é tete)

ate = chocolate
ma = mão
ada = fralda
titio = titio
titia = titia

bua = Bruna, noiva do meu primo
dida = Dinda Tata, minha irmã
uaua = auau
papa = comida
nana = dormir
mini = Minnie
dete = dente
pi = meu pintinho amarelinho (da galinha pintadinha)
didi = dedo
papiu = papel

Se eu lembrar de mais alguma palavra, volto aqui e acrescento, mas acho que o básico é isso.

Obs:. ela não fala vovó e vovô por nada. Não sei por que trava. Minha mãe sofre com isso! Porque é ela quem me ajuda muito e Duda podia dar esse presente né?

Gostaram?

domingo, 17 de abril de 2011

Pensando no post anterior...

Bom, como rendeu assunto o meu desabafo... recebi mensagens por aqui, de duas mães/amigas virtuais Aline e Flavia que me aconselharam a pensar em creche, escolinha, enfim... outros apoios que recebi via e-mail, mensagens pessoais no facebook, e até telefonemas, fui pesquisar o assunto na net, no mundo dos blogs de mães, que como eu, ou como nós, já passou ou passa por muitos perrengues na criação diária de seus filhotes.

E achei muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuitos blogs interessantes e vi que estamos todas no mesmo barco, umas mais afundadas até, outras com a água ainda no pé, mas todas, sem exceção, mães que procuram fazer o melhor para seus filhos! E que de uma forma ou de outra, são as Melhores Mães que podem Ser!

Deixo a Dica, pra quem quiser e tiver paciência de ler, o blog da Carol - http://www.vinhosviagenseumavidacomum.blogspot.com/

Lá, descobri um muuuuuuuuuuuuuuuuuundo de mães, que fizeram até uma blogagem coletiva sobre o tema Maternidade Real. Pena que só achei tudo isso depois que desabafei e fui atrás do problema. Inclusive vi depois que a Aline já tinha dado a dica no blog dela.

Aí, fuçando muito e muito mais, também encontrei um poema bem interessante, que coloco aqui, logo abaixo, do grande Vinícius de Morais:

POEMA ENJOADINHO

Filhos...Filhos?
Melhor não tê-los!
Mas se não os temos
Como sabê-lo?

Se não os temos
Que de consulta
Quanto silêncio
Como o queremos!

Banho de mar
Diz que é um porrete...
Cônjuge voa
Transpõe o espaço
Engole água
Fica salgada
Se iodifica
Depois, que boa
Que morenaço
Que a esposa fica!
Resultado: filho.

E então começa
A aporrinhação:
Cocô está branco
Cocô está preto
Bebe amoníaco
Comeu botão.

Filho? Filhos
Melhor não tê-los
Noites de insônia
Cãs prematuras
Prantos convulsos
Meu Deus, salvai-o!

Filhos são o demo
Melhor não tê-los...

Mas se não os temos
Como sabê-los?
Como saber
Que macieza
Nos seus cabelos
Que cheiro morno
Na sua carne
Que gosto doce
Na sua boca!

Chupam gilete
Bebem xampu
Ateiam fogo
No quarteirão

Porém, que coisa
Que coisa louca
Que coisa linda
Que os filhos são!

(Antologia Poética)

Obs:. Meninas (Aline e Flavis), a ideia da escolinha/creche é sim Maravilhosa! Lógico que tenho isso em mente. Mas, eu tenho um negócio dentro de mim: só coloco a Duda quando ela falar coisas que eu possa entender, ou seja, quero que ela consiga expressar o que ocorre lá, como é, enfim..... nóias que tenho e que eu julgo serem pertinentes no meu modo de ser mãe. O vocabulário dela ainda é chucro, ela ainda é monosslábica, falta um pouco pra engrenar em frases que se façam compreensíveis. Assim que ela se soltar, com certeza é a Primeira Opção da lista! E tenho certeza de que será muito bom pra mim e melhor ainda pra ela.


Beijos pra todas que me escreveram/ligaram e muito obrigada pelo Apoio!

Vivi

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Botãozinho Liga-Desliga

Por que será que tem dias que são mais difíceis que os outros?
Hoje, por exemplo, foi um dia desses.

De manhã, desci com a Duda no prédio pra ela brincar um pouco e cansar lógico.
Do jeito dela, fez logo amizade com um grupo de estudantes, faixa dos 19, 20 anos e foi convidada pro churrasco que tava rolando.... fala sério.... Hora de pegar a baixinha e subir pro almoço real dela, né?

Subimos, lavamos às mãos e rumo ao prato do dia. Comeu, bebeu e dormiu.
Ufaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa, pensei: tenho uma hora e meia pra eu fazer o que quiser, certo?

Erradoooooooooooooooooo: Duda dormiu só 50 minutos. Acordou no pique. Ui, vi que o dia ia ser looooooooooooooooongo. Isso que hoje ela acordou às 7h00. Beleza pura!

Bom, iniciamos então a tarde de atividades. Galinha pintadinha pra cá; Hi-5 pra lá; brincamos de esconde-esconde; os cachorros se meteram na brincadeira, farra total!

Consegui que ela ficasse pelo menos 10 minutos no chiqueirinho, brincando de fazer comidinhas pras bonecas. Devia ter tirado foto, cena liiiiiiiiiiiiiiiiiinda, um anjo fazendo papá pros nenéns!

A tarde foi passando, mamãe aqui ficando cansada e com a respiração já leeeeeeeeeeenta por causa do outro ser aqui dentro, que desde cedo já me consome tbm.

17:30 - Hora do banho - Depois que dou banho na Duda, costumo deixá-la mais uns 15 minutinhos se deliciando com a água, dando banho na Minnie, que ela adora, enfim... fazendo uma "enrolation", se é que me entendem, hã?

Passando isso, hora da janta, que hora mais feliz.... Ela costuma jantar sempre uma sopinha, que é mais light para o horário e melhor pra saúde dela no futuro, e, meia hora depois, ela mama uma mamadeira de 250ml de leite ninho fortificado acrescido de 2 medidas de mucilon e um pouquinho de açúcar e capota no berço, certo?

Bom, quase todos os dias a rotina é assim, chega 19h no máximo e ela tá dormindo e só acorda no dia seguinte lá pelas 8h, às vezes, 9h....

Mas hoje não foi assim.... foi um baile, que durou mais de 1 hora e meia. Tira do berço, coloca no colo, canta um pouco, mais um pouco, ela sacode o bumbum, reclama da música, pede outra, volta pro berço, chora, reclama, resmunga, levanta, ri, dança, começa a imitar porco pra eu descer do salto e entrar na dela, rindo... e a minha paciência vai lá pra casa do coelhinho da páscoa...

Vontade louca de apertar um botão, sabe? Um botão: agora é hora de desligar, tchuf!

Mas não tem botão.... não tem anjo por perto que me ajude nesse momento. Tá pra nascer quem não perca a paciência. Chega um momento do dia, que fico completamente querendo sossego, querendo curtir um xixi sozinha, um banho, uma tv, um computador, uma refeição só minha..... fico desejando que o dia termine pra eu descansar um pouco ou até mesmo pra trabalhar. Já que combinei com minha chefinha, trabalhar sempre após às 19h.

Eu AMO a Duda, faço tudo por ela, me dedico o dia inteiro, o tempo que for, mas... tbm canso e preciso do meu tempo, mesmo que seja pouco.

Caí no choro, ali mesmo, debruçada no berço dela, enquanto esperava ela cansar em algum momento e se entregar ao sono. Não chorei pelo hoje, porque eu tô cansada, etc e tal.... chorei pelo o que ainda virá no final do ano, com a chegada do bebê.

Fraquejei! E pensei: ai, meu Deus! Será que vou dar conta? Será que até lá inventam esse botãozinho tão desejado?

Depois que ela dormiu e eu vim pra sala e desabafei com o marido.... tava nervosa, precisava falar.... me bateu uma angústia grande. Me senti péssima, uma péssima mãe querendo que minha bebezinha, o maior amor da minha vida dormisse logo. Como pude brigar com ela? Por que eu não deixei ela ficar mais um pouquinho acordada até o soninho chegar? Porque eu não tive paciência? Ela não tem culpa do meu cansaço, da minha gravidez nova, dos meus hormônios alterados. Ela é tão jovem, tão saudável, tão cheia de energia, quer emendar um dia no outro pra não perder tempo de viver.

Aí que vi que sou mesmo mãe. Coração mole né?

Beijos
Vivi

quarta-feira, 13 de abril de 2011

A Emoção da segunda gravidez

Gente,

não tive tempo de postar sobre a emoção de fazer uma ultra na segunda gravidez.
Aqui vai...

Achei que não ia sentir nada, porque já passei por isso.... nada a ver.
Fiquei mais nervosa com essa ultra do que na da Duda, pode? Antes de entrar na sala,
estava suando frio... não sei se foi porque essa gravidez não foi planejada, fiquei mais ansiosa.

Mas, quando vi meu bebezinho lá..... ave! Que loucura. O sentimento veio todo, foi um chororê, não me contive. Que coisa mais linda, como se mexia, parecia tão feliz ali.

Me acompanhando estavam o marido, minha mamis e a Dudinha. Dudinha olhava e dizia "neném, neném". Nem o médico aguentou e caiu na risada.

Duda teve que ser retirada da sala, hahahaha... porque ela tava muito falante.

E foi assim... como se fosse a primeira vez, mas com um saborzinho mais especial, acreditam?

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Primeira ultra da segunda gravidez

Hoje fiz a primeira ultra da minha segunda gravidez.
Tudo certo: amanhã entro na 10ª semana.
O embrião mede 3 cm.
De resto, tudo bonitinho. Batimentos cardíacos: 173

Difícil são os enjoos, porque o bebê tá ali, lindinho e mexendo bem seus membros.

Olhem meu bebezinho aí:

video



Obs:. não consegui colocar áudio pros batimentos..


Beijos

Vivi

terça-feira, 5 de abril de 2011

Noite difícil

Estava tudo calmo. Como de costume, Duda foi dormir às 19:30, seu horário habitual. Eu estava bem deitada no sofá, descansando e agradecendo pelo dia ter terminado, afinal, ando muito cansada. Os hormônios da gravidez estão me deixando assim. Eis que deu 20:30 no relógio e começou aquele berreiro..... primeiro foi meu marido, tentou, conversou, cantou, e nada, o berreiro só aumentava. Parecia que ela estava apanhando, de tanto que berrava. Aquilo foi entrando no meu ouvido e, logo vi que seria uma noite difícil. Aí entrei em ação. Fui lá, peguei no colo, cantei, falei, acendi a luz, mostrei todos os bichinhos de pelúcia nanando, cantei toda a coleção da galinha pintadinha e o berreiro só aumentava. Fui ficando nervosa, parecia dor, mas não era dor. Um desespero tomou conta de mim. Saí do quarto pra fazer um chá de camomila. Minha mãe veio me acudir. Sentou na cama, contou as mesmas histórias, cantou as mesmas músicas, por uns dois minutos ficou silêncio..... mas só dois minutos, porque depois o berreiro voltou com força total. Deu 23h15 no relógio. Meu pai veio na tentativa de acalmar a fera. Aí foi só alegria né? Duda achou que era festa e de uma hora pra outra começou a cantar parabéns. Correr atrás dos cachorros, ela tava felizona da vida! Ficamos nós 4 na sala: meus pais e eu, e Duda, lógico, esperando o show terminar. Ricardo foi dormir. Tinha que acordar cedo pra trabalhar né? E foi um belo show. Que se encerrou às 2h10. Ufaaaaaaaaaaa!


video